quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Conheça 10 dos piores experimentos humanos já feitos

Nosso Planeta     18:41     No comments

Nessa matéria vamos mostras 10 dos piores experimentos humanos já feitos.


1- Um laboratório Soviético de veneno.

Foto/Reprodução

O “The Chamber”, como era conhecido, era um laboratório secreto de veneno, os soviéticos criaram uma instalação secreta, para pesquisar e desenvolver produtos químicos mortais, como ricina, gás mostarda e muitos outros.
Esses produtos eram testados em prisioneiros, eles eram trazidos dos Gulag ( campos soviéticos de trabalho forçado).
As experiências eram feitas para descobrir um agente químico que não poderia ser detectado após a morte.
A pesquisa funcionou em um produto químico chamado C-2. Foi testado em prisioneiros, que geralmente morriam 15 minutos após serem expostos a este veneno.
2- Uma operação chamada climax da meia-noite.

Foto/Reprodução

Esse era um experimento da CIA em Nova York e San Francisco.
Eles queriam testar os efeitos do LSD em pessoas sem o consentimento delas. Ai você se pergunta como uma pessoa usaria uma droga sem saber o motivo.
Bom, a CIA contratou várias prostitutas, que foram encarregadas de atrair os seus clientes para esses lugares, que contavam com um espelho falso pelo qual os cientistas observavam os efeitos dessa droga em seus alvos.
Em vez de uma noite de amor, esses clientes foram administrados com uma série de drogas, incluindo o LSD.
Os funcionários envolvidos neste experimento descreveram como o mais divertido que já fizeram.
3- Espalhar câncer em Porto Rico, literalmente.

Foto/Reprodução

O Dr. Cornelius Rhoads foi o cientista encarregado de realizar um estudo e experimentos sobre os efeitos do câncer em Porto Rico.
Ele infectou vários cidadães com células cancerosas, dos quais 13 morreram depois de um curto período de tempo.
Esse ato não foi o mais cruel por que Rhoads, ainda chegou a afirma que, os porto-riquenhos eram a raça mais suja e preguiçosa da terra, e que teria feito o melhor para extermina-los, matando oito transplantados de câncer.
Isso provou que ele era um homem muito doente, mas nada foi feito para responsabilizá-lo.
É ele se tornou o vice-presidente da American Cancer Society.
4- O horror do agente laranja.

Foto/Reprodução

Na guerra do Vietnã, os EUA usaram uma arma nova para a guerra biológica conhecida como Agente Laranja.
Essa arma foi desenvolvida originalmente como um herbicida, mas teve muitos efeitos adversos em pessoas. O Dr. Albert Kligman ficou encarregado de testar os efeitos do Agente Laranja em pessoas, ele recebeu financiamento completo pelo Exército dos EUA e pela Dow Chemical Company.
Os prisioneiros eram trazidos para a pesquisa que era chamada de ” pesquisa dermatológica”.
Basicamente ele testou um componente do agente laranja, na pele exposta ou através de uma injeção.
Os resultados foram horríveis, com muitos pacientes desenvolvendo cloracne que explodia em cada parte do corpo, incluindo os órgão genitais.
5- Experimentos radioativos em soldados.

Foto/Reprodução

O projeto Manhattan, foi uma pesquisa financiada pelo governo dos EUA, para desenvolver uma bomba nuclear.
Mas os cientistas acabaram descobrindo que os efeitos da rediação resultante de uma explosão nuclear era desconhecidos até então.
Assim eles começaram a injetar urânio e Plutônio em pacientes inocentes sem seu consentimento.
Eles envolviam soldados, bem como pacientes, de diferentes hospitais de Chicago e Massachusetts.
Dos 18 pacientes que receberão as injeções, apenas 5 foram capazes de viver mais de 20 anos após a injeção, outras 11 pessoas também foram injetadas pelo Dr. William entre 1946 e 1947.
6- Experimentos em prisioneiros na Coréia do Norte.

Foto/Reprodução

Várias coisas erradas acontecem na Coréia do Norte e isso não e nenhuma surpresa pra ninguém, experiências cruéis em prisioneiros e uma delas.
Os relatos mostram que os norte-coreanos estão no mesmo nível que os praticados pelos nazistas e os japoneses, mas o governo sempre negou tais acusações.
Um prisioneiro norte-coreano contou que presenciou vários desses experimentos, em um deles 50 prisioneiras saudáveis foram forçadas a comer folhas de repolho envenenadas, dentro de 20 minutos, todas morreram devido ao vômito de sangue.
Em outra ocasião ele viu grupo de pessoas geralmente famílias, sendo atingidas por gás venenoso, e serem observadas pelos cientistas enquanto eles sofrem até a morrerem.
7- O projeto de aversão aos homossexuais.

Foto/Reprodução

A partir da década de 70, o exército da África do Sul, era responsavel por realizar forçadas operações de “mudança de sexo”, em alguns soldados que se suspeitavam ser homossexuais. Psiqioatras apontavam para qualquer soldado que mostra-se sinais de homossexualidade e os enviavam para uma unidade psiquiátrica militar secreta.
Eles tinham varios “tratamentos”, como terapia de choque e hormônios, nos casos de falha desses antes citados, eles faziam castrações químicas e operação de mudança de sexo nos soldados.
Estima-se que 900 dessas operações forçadas nos soldados foram realizadas entre 1971 e 1989. O chefe dos estudos na época era o Dr. Aubrey Levin, que agora é professor clínico de boa reputação na Universidade de Calgary de Medicina.
8- Unidade 731 do exército imperial japonês.

Foto/Reprodução

As guerras trouxeram muitas coisas ruins e péssimas. A grande parte desses experimentos cruéis, foram realizados em prisioneiros de guerra, pois ele não podiam se impor e por estarem inteiramente a mercê em cativeiros.
Todos sabemos que os nazistas fizeram muitas coisas absurdas, mas o Exército Imperial Japonês não ficou para trás.
Na Segunda Guerra Mundial, eles realizaram alguns dos mais horríveis experimentos humanos, esses experimentos eram feitos sob as instruções do comandante Shiro Ishii e sua Unidade 731.
Muitos desses experimentos, envolvia amputar os membros dos prisioneiros e reconectá-los a outras partes do corpo, alguns eram usados de teste para granadas e lança-chamas.
Muitos prisioneiros também foram submetidos a injeções com cepas de doenças mortais, os cientistas estudavam os efeitos sobre o corpo humano.
Após a guerra Ishii ganhou imunidade e ficou imune a todos os julgamentos.
9- Estudo de sífilis não tratada em afro-americanos.

Foto/Reprodução

Este experimento conhecido como o estudo de Tuskegee sobre a sífilis não tratada no macho negro, a sífilis se não for tratada resulta em morte.
Vários desses indivíduos que participaram desta experiencia não deram consentimento informado que disseram que tinham “sangue ruim”.
Eles diziam que quem participasse ganharia tratamento medico gratruito e auxílio funeral em caso de morte.
Ao fim desse estudo, 128 homens morreram por causa da doença, 40 das esposas desses homens foram infectadas e 19 crianças nasceram com sífilis congênita.
10- Testar gás mostarda em soldados.

Foto/Reprodução

O gás mostarda era um pesadelo pra qualquer pessoa, é por isso seu uso foi banido já que classificaram o mesmo como arma química.
Em 1940, a pesquisa para uma bio-arma havia sido intensificada por causa da guerra.
O maior problema dos cientistas era saber como identificar seus efeitos sobre o corpo humano.
Então os exércitos decidiram testar essas horríveis bio-armas, em seus próprios soldados, que não sabiam que estavam sendo usados como cobaias.
Ao entrar em contato com o gás mostarda na pele, os soldados sentiam muita dor e coceiras severas, deixando erupções cutâneas que lembravam queimaduras químicas severas.

,

0 comentários :

Blog Nosso Planeta

Nosso Planeta é um blog sobre conhecimento gerais. Criado em 2014.

Translate

Seguidores

Postagens Por E-mail

Coloque seu endereço de e-mail.
© 2016 Nosso Planeta | Todos Direitos Reservados