quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Cientistas observam um planeta se formando pela primeira vez

Nosso Planeta     09:31     No comments

Pela primeira vez, os cientistas conseguiram observar um planeta sendo formado.
Além disso, os astrônomos capturaram imagens de partículas de poeira e gás se acumulando para formar um protoplaneta (condensação de matéria da fase inicial na evolução de um planeta) em um sistema solar distante.
 
Pesquisadores dos EUA e da Austrália observaram o fenômeno no sistema solar, em torno de uma estrela chamada LkCa 15, localizada a 450 anos-luz de distância da Terra. Observar um planeta em formação pela primeira vez foi particularmente emocionante para os astrônomos, pois, dos quase 2.000 exoplanetas até agora identificados, nenhum deles está em processo de formação.
 
Esta é a primeira vez que temos de um planeta que podemos dizer que ainda está se formando", disse Stephanie Sallum, astrônoma da Universidade do Arizona, nos EUA, que liderou o estudo com a colega, Kate Follett, pesquisadora da Universidade de Stanford. “Sempre houve explicações alternativas, mas, neste caso, tivemos uma imagem direta, e é difícil de contestar isso”, acrescentou Kate.
 078 1
Os resultados, publicados na revista Nature, descrevem como LkCa15 é cercada por um tipo especial de disco protoplanetário, que se forma em torno de estrelas jovens nos restos que permanecem após a estrela ter se formado.
 
A hipótese dos pesquisadores, agora apoiada por suas imagens, é que os planetas se formam no interior do disco, junto dos escombros e poeira. “O motivo pelo qual observávamos este sistema é porque ele é construído em torno de uma estrela muito jovem que tem material de sobra para o processo de formação estelar. É como um grande donut”, acrescentou Kate.
 

LkCa15 possui, aproximadamente, 2 milhões de anos, sendo relativamente jovem para uma estrela, e recente o bastante para que o sistema ainda apresente um disco de detritos a sua volta, capaz de dar origem a novos planetas. Até três planetas estão em processo de formação em torno da estrela, segundo os pesquisadores, que acompanham o movimento planetário local entre 2009 e 2015, utilizando ferramentas avançadas, incluindo o maior telescópio do mundo, o Grande Telescópio Binocular (LBT), no Arizona, e o telescópio Magellan, no Chile.
 Usando os telescópios e um sistema de adaptação ótica, os pesquisadores foram capazes de distinguir as impressões digitais espectrais de dois brilhantes e quentes objetos vermelhos como a estrela em formação e o planeta que estava se formando. “Este tom escuro de luz vermelha é emitido tanto pelo planeta quanto pela estrela, à medida que passam pelo mesmo processo de crescimento. Fomos capazes de separar a luz do fraco planeta a partir da luz da estrela mais brilhante e vimos que ambos estavam crescendo e brilhando neste tom, muito distinto de um vermelho comum”, contou Kate.
 
Não se sabia explicar, anteriormente, o que seriam tais diferenças, mas agora que os pesquisadores identificaram com sucesso as formações que ocorrem no LkCa 15, podem tornar a identificação mais simples para os cientistas, com formações semelhantes em sistemas de estrelas distantes. “Esta foi uma tempestade perfeita de um problema observacional. Estamos tentando ver planetas muito tênues através do brilho de uma estrela”, disse um dos pesquisadores, Peter Tuthill, da Universidade de Sydney, na Austrália.

(Fonte: JornalCiência)

, , ,

0 comentários :

Blog Nosso Planeta

Nosso Planeta é um blog sobre conhecimento gerais. Criado em 2014.

Translate

Seguidores

Postagens Por E-mail

Coloque seu endereço de e-mail.
© 2016 Nosso Planeta | Todos Direitos Reservados